Sobre os videos das causianes que querem aparecer na mídia e estão falando para ninguém vir a Jeri:

1. Aqui tem delegacia, e carro de polícia que faz ronda todos os dias. De fato para algumas coisas maiores é necessário ir a Jijoca, mas existe sim a presença da polícia aqui.
2. As pessoas usam drogas sim, igual a São Paulo, Rio, e tantos outros lugares. Todo fim de expediente eu ia para a estação, e passava pelas ruas do Jardim Europa, e sentia cheio de maconha em vários pontos. Em tudo que é festa e balada tem drogas, seja aqui, ou onde for. Lidem com isso, e resolvam o problema direito. Legaliza, fiscaliza, mas não reclama sem fazer nada!
3. O crime é um fato social, não há nenhuma sociedade em que ele não está presente, só quando atinge níveis muito elevados é que se torna patológico, então para essas queridas comentaristas de fatos aleatórios, fica a grande dica de estudar sociologia, e entender o que forma e compõe uma sociedade.
4. Jeri, é uma sociedade, e como citei acima, tem crimes. Mas morando aqui e já tendo morado em São Paulo, posso afirmar por experiência que está bem longe de ser alarmante. Andamos de madrugada sozinhas, vamos a praia, fazemos coisas impensáveis em grandes cidades, e estamos bem. É claro que acontecem alguns problemas, mas nada que justifique todo esse alarde. O crime misterioso que citam para fazer mais barulho foi cometido aparentemente por gente de fora, vejam bem...
5. "Onde houverem pessoas, haverão pessoas." E pessoas são más, são boas, são honestas, são desonestas, sã sãs, são malucas, e é isso que a humanidade é, uma grande mistura de gente de todo tipo. Eu não questiono que essa briga rolou, e não deixo de achar ridículo, não acredito na violência como solução, mas daí a colocar isso como verdade absoluta de uma localidade, falta senso crítico.
6. Não sei quem são os ditos amigos, e não estava no dia,mas o que acontece com muita frequência, é o turista chegar aqui, e acreditar que aqui é uma terra de ninguém, onde tudo pode em nome da sua própria diversão, então, se você pensa assim, não venha mesmo a Jeri.
7. A diferença cultural nos interiores do Brasil é muito grande se comparada agrades capitais, então no lugar desse monte crítica aos povos e populações d lugares diferentes do seu núcleo, porque não tentar entender essas diferenças, e fazer ago para amenizá-las no lugar de excluir e marginalizar? Chega de textão, é hora de votar direito, se envolver em projetos sociais e fazer uma diferença real, e não ficar só fazendo vídeo e texto de reclamação sem solução.
8. Incitar as pessoas a cancelarem viagens por causa de meia duzia de pessoas, é ameaçar no meio da crise o emprego de centenas de brasileiros e mesmo de alguns estrangeiros que vivem aqui. Que apesar das circunstancias da vida, da crise e de tudo mais, ganham seu sustento aqui, nos hotéis, pousadas, lojas e restaurantes. É tirar a possibilidade do filho da camareira de ter uma vida melhor, da família do segurança se alimentar com dignidade, do empresário de investir... Enfim, pense bem no que se fala, as palavras realmente tem poder, principalmente quando faladas por gente que está em 'destaque' na mídia.
9. Vamos ser mais tolerantes, e diminuir esses conflitos e bate bocas, o mundo está ficando um lugar ruim, e temos que fazer algo p virar esse jogo.
Talitta, osasquence que escolheu Jeri como lar.
Ps.: me passa esse hotel 5 estrelas na Europa por R$ 200,00 que já quero!

Compartilhado do meu perfil do Facebook!

...e se a dor é de saudade...

Para quem fica, quem vai embora pode parecer alguém que não se importa.
Mas a gente se importa, e se importa muito. 
Tem dias que a saudade faz todas as conquistas parecerem inúteis e infundadas. 

A vida as vezes fica sufocante, e a gente sente uma necessidade de partir, para não explodir, para continuar viva, para ser feliz.
Mas estar longe tem esse contra enorme de não poder estar com os seus, de não participar dos pequenos e grandes momentos, de não ter ao lado nossos intensos e importantes amores. 
Eu sinto saudades todos os dias, mas alguns são piores que outros. 
Nos piores me sinto egoísta por ter largado tudo e a todos, por não fazer meu papel de presente na vida de quem eu amo.
Mas então, eu faço uma reflexão de tudo que eu construí e evoluí internamente e percebo que não podia ser diferente, se eu tivesse ficado não teria nada do que tenho agora a oferecer, não desenvolveria meu potencial e não seria essa Talitta, que eu realmente gosto muito de ser.
Então, peço desculpas por não estar aí com vocês, mas eu precisava partir para ser eu mesma, mas meu amor, apesar da distância, só cresce!

T.

Fechada para Balanço

Eu recebo eventualmente alguns emails, de pessoas querendo que eu diga como é sensacional viver aqui, e como elas deveriam fazer isso também.
Tenho 2 pontos sobre isso:

1. Não faço consultoria de como largar tudo e viver em Jeri. Não sou especialista nisso, tenho a minha experiência, que é diferente das outras pessoas.
2. A parte da minha vida que eu gostaria de dividir, eu já coloco aqui, nas postagens abertas. Adoro saber que minhas experiências podem inspirar outras pessoas a agirem a favor das mudanças nas próprias vidas, mas não tenho interesse de compartilhar detalhes da minha vida particular (desculpa se soa mal, arrogante, ou qualquer coisa do gênero).

Então, pessoa que esta lendo, isso que tenho aqui, é o que posso te oferecer, e espero de verdade que ajude, mas sinto se não for o bastante, pois é só o que tenho.

Uma foto de Jeri nesses últimos dias para vocês me odiarem menos:


Sol se pondo na Praia da Malhada, visto do hotel Chilli Beach.

XOXO
T.

"eu não vim até aqui pra desistir agora...

...minhas raízes estão no (m)ar minha, casa é qualquer lugar, se depender de mim eu vou até o fim."

Dependendo do ponto de vista eu posso dizer que tudo deu bem errado até agora:
- O emprego pelo que vim se mostrou uma cilada. O dono tinha conceitos de trabalho muito diferentes dos meus (e das leis), e eu tive que sair por simplesmente não ser possível ir tão contra o que sou/acredito.
- O café que tentei pegar o bonde andando com a minha amiga precisava de um incentivo financeiro a mais que nós simplesmente não tínhamos.
- Fiquei 2 meses em uma experiência muito bacana de trabalho, que estava se mostrando muito interessante e com potencial. Mas sem nenhuma explicação, fui desligada (não foi uma daquelas coisas em que a pessoa não vê os sinais, eles simplesmente não aconteceram). E a experiencia "Você está demitida - by Roberto Justus", me fez sentir coisas bem estranhas, principalmente por não ter sido apontado um motivo real, Robertinho ao menos apontava as falhas. O mais perto de justificativa foi ser muito de São Paulo, rs.
- Ficaram me devendo dinheiro em umas situações.
- Eu sinto saudades demais, de um jeito muito mais intenso que antes, a vida adulta traz vínculos mais fortes, e as pessoas acabam sendo partes de nós, se afastar dói. Sair de São Paulo - Capital, também foi diferente se comparado a ter saído de Osasco, São Paulo é um mar das possibilidades que não se compara a muita coisa.

Do meu ponto de vista, deu tudo bem certo:
- Larguei meus remédios de ansiedade, e tô vivendo, rs.
- Reencontrei uma série de pessoas muito queridas e amadas que me fazem perceber que a humanidade deu certo sim. Conheci mais um punhado de gente que vale demais a pena.
- Tenho o Thiago perto de mim, que tem horas que me deixa maluca, mas que na realidade tem sido a minha pessoa, e está sempre disposto a ajudar e aconselhar, e as vezes a querer me matar, hahaha.
- Estou vivendo a alguns dias a experiência de morar completamente sozinha, e isso tem trazido tantas coisas boas que ainda vão render muitos textos, mas não vou dar spoilers.
- Nessa situação inesperada de mudança de planos financeiros e de carreira imediata, meus amigos novos e antigos se puseram tão solícitos, me fizeram sentir tão querida, e com essa impressão de que estou fazendo algo certo, que por mais que eu ache a palavra banalizada a sensação de gratidão pela vida e pelo que realmente importa me encheu o peito.
- E o resto voltou a ser mar...e isso simplesmente não tem preço.

No meio de tudo isso, só dá para pensar naquela teoria de Deus escrever certo nas linhas tortas, e esperar que o ditado daqui se profetize e tudo 'dê certo'! Porque eu não vou mesmo desistir.

xoxo
T.


Responsabilidade.

Tem um tempo que eu não posto., comecei vários textos e deixei para trás.
O motivo disso, é que alguma pessoas chegam até mim através do blog querendo uma fórmula mágica de mudança e felicidade, e isso me assusta muito!
Eu sou feliz aqui, mas por motivos completamente internos. Tudo já deu tanto errado nessa versão Jeri 2017, que seu eu listar aqui vocês vão me perguntar porque eu insisto.
Eu insisto porque gosto, a proximidade do mar me faz feliz, não precisar dirigir me faz feliz, o estilo de vida, andar de chinelo, comer peixe fresco, olhar a lua e as estrelas, saber os horários das marés.

Mas tem uma série de coisas que me irrita: não ter banco, a internet ser ruim, a quantidade de areia que junta na casa, a dificuldade para conseguir resolver coisas simples, os preços absurdos dos aluguéis de casas horrorosas, a falta de respeito com as leis trabalhistas, afinal, a flexibilização da CLT chegou aqui a muito tempo. Mas na minha balança, os prós pesam mais.

A questão toda, é que a balança de cada um é calibrada de um jeito, e minha experiência e gostos não podem ser levados como modelo, não é uma ciência exata. Então se você quer vir morar aqui, venha pelo motivo certo, que é querer, e lembre sempre que assim como pode dar muito errado, pode também dar muito certo, como qualquer coisa na vida.
XOXO
T.

FAQ - parte 2 - moradia em jeri!

Algumas pessoas tem me procurado para saber como funciona morar aqui.
Largar tudo não é uma ciência exata, cada experiência é de um jeito, e ada um consegue suportar certa quantidade de provações.
Vou contar sobre a minha experiência, e sobre o que sei daqui, com base nessa fase de 2017.
Eu vim com  um trampo certo, que supostamente pagaria minha moradia e ia ser tranquilo, mas o trampo deu errado e não foi bem assim. Como eu já tenho amigos aqui, isso facilitou minha vida.
Acabei no primeiro momento morando com a Lilian, em uma casa de dois quartos e dois banheiros, antiga, mas bem centralizada, morávamos ela, Dudu e eu.

Com todas as minhas mudanças de emprego, acabou sendo mais conveniente vir para uma outra casa, de uma outra amiga de desde a outra vez que morei aqui, também tem 2 quartos e 2 banheiros, é maravilhosa, mas fica mais afastadinha.

As pessoas aqui normalmente dividem as casas, com conhecidos, ou desconhecidos que se tornam conhecidos, rs. Às vezes é bom (quase sempre tive sorte, um dia conto a única má sorte de 2010), e às vezes é ruim, como tudo nessa vida.
Aqui não tem imobiliária, então, a coisa funciona no boca a boca, ver plaquinhas na rua, e anúncios nos grupos do Facebook (mural Jericoacoara, mural de jeri...), não é viável conseguir uma casa sem já estar aqui.

Custos
Já não é mais barato viver aqui, e existem vários tipos de opções.
Recentemente, procurando junto com o Thiago, vimos algumas coisas, casas de 1 quarto entre R$ 800 e R$ 1200, quartos de R$ 600 (já com as contas), apartamento de 2 quartos por R$ 1800, gente que divide os quartos e fica uns R$ 400 por pessoa. Resumindo, várias faixas de preço e possibilidades.
Tem que procurar bem, algumas casas são bem feinhas, e cobram muito caro, e outras bem maravilhosas, só que mais afastadas. Então, não é barato morar, mas é possível.

Thiago estra trabalhando no Blue Group, eles sempre tem vagas de emprego, estão com 5 empreendimentos hoteleiros, e o bacana deles, é que eles tem um alojamento para os funcionários (uma vilinha de casas, nunca fui, não sei bem como é), eles contratam as pessoas a distância, então pode ser uma alternativa bacana para quem quer se arriscar, mas com alguma segurança.

Espero ter sido útil. Vou fazer mais posts informativos sobre essas questões cotidianas.

XOXO


He's a boy! He's my friend! But he's not my boyfriend!!!!

Eu podia começar esse post com uma foto, mas ele odeia fotos dele espalhadas pela rede, e por hoje vou poupá-lo da exposição por imagens, apenas hoje.

Era uma vez um app, um garoto e uma garota. Deram match! Se descobriram 2 malucos, e por motivações que fogem a compreensão humana, viraram amigos se falavam todos os dias, e descobriram o apreço mútuo de reclamar da vida.

Um dia a garota decidiu se mudar para Jericoacoara, e quando contou a ele, perguntou "porque você não vai também?", e por mais uma porção de motivações que fogem a compreensão humana, ele foi!

Esse é o resumo rápido dos porquês do Thiago estar aqui, morando na vila, mais precisamente comigo.
Hoje ele começou o trampo novo, mudou de vida, de edição de vídeo para recepção de hotel, com direito a uniforme e tudo. Eu fico torcendo aqui, que essa maluquice dele dê certo, que ele seja felizinho aqui, igual eu sou. E que a gente continue assim, parceiros de uma experiência maluca e cheia de desafios!

Obrigada  por fazer meus dias no vilarejo mais felizes Thiago!

Ps.: Se eu não escrever isso ele vai reclamar, então que todos saibam que ele já é o lavador de louças e banheiro oficial (e lava bem).